sexta-feira, 4 de Setembro de 2009

SEGUNDA CARTA A TIMÓTEO

Das três Cartas Pastorais, esta é a que contém mais informações de ordem pessoal, quer no que diz respeito a Paulo (1,12.15-18; 3,10; 4,6-8.16-18), quer aos seus destinatários (1,5; 2,17; 3,15; 4,9-15.19-22). Estes elementos, aliados ao facto de ser esta a Carta Pastoral que menos se afasta do estilo paulino, constituem um sério argumento em favor de uma autoria, pelo menos parcial, do Apóstolo, quer sob a forma de um escrito seu que tenha sido posteriormente completado, quer de indicações dadas a um secretário que se encarregou da redacção (ver Introdução às Cartas Pastorais, p. 1949-1950).De qualquer modo, na sua forma actual, esta Carta dificilmente pode ser atribuída a Paulo, na sua totalidade; os dados de natureza pessoal, habitualmente considerados fidedignos, podem ser fruto de informações orais sobre a última fase da vida do Apóstolo.

DIVISÃO E CONTEÚDO A Carta tem a seguinte estrutura:Saudação e acção de graças (1,1-5), que introduzem o tema central, enquadrado por duas exortações solenes a Timóteo, para que renove a graça do ministério pastoral que lhe foi confiado (1,6-18; 4,1-5).Parte central: é um aprofundamento da missão de Timóteo (2,1-13), contraposta à dos falsos mestres (2,14-26) e exercida num ambiente de indiferença e hostilidade (3,1-17). O testemunho do próprio Paulo, que se sente já no crepúsculo de uma vida inteiramente dedicada ao Evangelho e espera concluí-la na fidelidade à sua missão (4,6-8), constitui exemplo e encorajamento para todos os pastores.Conclusão: tem algumas recomendações e pedidos (4,9-18) e uma saudação final (4,19-22).

1 Saudação e acção de graças - 1Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, por desígnio de Deus, segundo a promessa de vida que há em Cristo Jesus, 2a Timóteo, meu filho querido: graça, misericórdia e paz de Deus Pai e de Cristo Jesus, Nosso Senhor. 3Dou graças a Deus, a quem sirvo em consciência pura, como já o fizeram os meus antepassados, ao recordar-te constantemente nas minhas orações, noite e dia. 4Ao lembrar-me das tuas lágrimas, anseio ver-te, para completar a minha alegria, 5pois trago à memória a tua fé sem fingimento, que se encontrava já na tua avó Loide e na tua mãe Eunice e que, estou seguro, se encontra também em ti.

Apelo à renovação da graça recebida - 6Por isso recomendo-te que reacendas o dom de Deus que se encontra em ti, pela imposição das minhas mãos, 7pois Deus não nos concedeu um espírito de timidez, mas de fortaleza, de amor e de bom senso. 8Portanto, não te envergonhes de dar testemunho de Nosso Senhor, nem de mim, seu prisioneiro, mas compartilha o meu sofrimento pelo Evangelho, apoiado na força de Deus. 9Ele salvou-nos e chamou-nos, por santo chamamento, não em atenção às nossas obras, mas segundo o seu próprio desígnio e a graça a nós concedida em Cristo Jesus, antes dos séculos eternos, 10e agora revelada na manifestação do nosso Salvador, Cristo Jesus, que destruiu a morte e irradiou vida e imortalidade, por meio do Evangelho, 11do qual eu próprio fui constituído arauto, apóstolo e mestre. 12Por este motivo é que suporto também esta situação. Mas não me envergonho, pois sei em quem acreditei e estou persuadido de que Ele tem poder para guardar, até àquele dia, o bem que me foi confiado. 13Toma como modelo as sãs palavras que ouviste de mim, na fé e no amor de Cristo Jesus. 14Guarda, pelo Espírito Santo que habita em nós, o precioso bem que te foi confiado. 15Como sabes, todos os da Ásia me abandonaram, inclusivamente Figelo e Hermógenes. 16Que Deus mostre a sua misericórdia para com a família de Onesíforo, que tantas vezes me confortou e não se envergonhou das minhas cadeias. 17Pelo contrário, quando chegou a Roma, procurou-me afanosamente até me encontrar. 18Que o Senhor o faça encontrar misericórdia diante de si, naquele dia. Além disso, conheces melhor do que ninguém os serviços que ele prestou em Éfeso.

2 Dedicação e sofrimento no ministério - 1Tu, pois, meu filho, sê forte na graça de Cristo Jesus. 2Quanto de mim ouviste, na presença de muitas testemunhas, transmite-o a pessoas de confiança, que sejam capazes de o ensinar também a outros. 3Compartilha as dificuldades, como bom soldado de Cristo Jesus. 4Nenhum soldado em campanha se deixa enredar pelos afazeres da vida, se quer agradar àquele que o alistou. 5E também aquele que participa numa competição não recebe o prémio, se não competir segundo as regras. 6O lavrador que se afadiga é o primeiro a receber os frutos. 7Reflecte sobre o que te digo, pois o Senhor te dará a compreensão de tudo. 8Tem sempre bem presente Jesus Cristo, ressuscitado de entre os mortos e nascido da linhagem de David, segundo o meu evangelho, 9pelo qual sofro mesmo estas cadeias, como se fosse um malfeitor. Mas a palavra de Deus não pode ser acorrentada. 10Por isso, tudo suporto pelos eleitos, para que também eles alcancem a salvação em Cristo Jesus e a glória eterna. 11É digna de fé esta palavra:Se com Ele morrermos,também com Ele viveremos. 12Se nos mantivermos firmes,reinaremos com Ele.Se o negarmos,também Ele nos negará. 13Se formos infiéis,Ele permanecerá fiel,pois não pode negar-se a si mesmo.

Verdadeiro e falso ensinamento (1 Tm 1,3-7; Tt 1,10-16) - 14Lembra-lhes estas coisas, advertindo seriamente em nome de Deus que não se envolvam em litígios de palavras. Isso não serve para nada e leva à ruína dos ouvintes. 15Esforça-te por te apresentares diante de Deus como trabalhador digno e irrepreensível, interpretando rectamente a palavra da verdade. 16Evita as vãs conversas profanas, pois só fazem prosperar a impiedade; 17e as palavras dessa gente proliferam como gangrena. Entre esses encontram-se Himeneu e Fileto, 18os quais se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição já se deu e perverteram a fé de alguns. 19Apesar de tudo, o sólido fundamento posto por Deus permanece firme e tem esta marca:O Senhor conhece os que são seus;e afaste-se da maldade todo o que invoca o nome do Senhor. 20Numa casa grande não existem somente vasos de ouro e prata, mas também há os que são de madeira e de barro. Uns servem para usos nobres e outros para uso ordinário. 21Se alguém, pois, se purifica destas coisas, será um vaso de nobre préstimo, consagrado, útil ao seu dono e apropriado para toda a obra boa. 22Foge das paixões juvenis. Procura a justiça, a fé, o amor e a paz com todos os que invocam o Senhor de coração puro. 23Abstém-te de discussões estúpidas e néscias, pois sabes que só levam a conflitos 24e aquele que está ao serviço do Senhor não deve ser conflituoso, mas tem de ser amável para com todos, ter uma boa pedagogia, ser tolerante, 25saber corrigir os adversários com suavidade, na esperança que Deus lhes conceda o arrependimento em ordem ao reconhecimento da verdade 26e escapem ao laço do diabo, que os mantém cativos e sujeitos à sua vontade.

3 Perigos dos últimos tempos - 1Fica sabendo que, nos últimos dias, surgirão tempos difíceis. 2As pessoas tornar-se-ão egoístas, interesseiras, arrogantes, soberbas, blasfemas, desrespeitadoras dos pais, ingratas, ímpias, 3sem coração, implacáveis, caluniadoras, descontroladas, desumanas e inimigas do bem, A paz seja contigo.Os amigos saúdam-te; e tu saúda os amigos, um por um. 4traidoras, insolentes, orgulhosas e mais amigas dos prazeres do que de Deus. 5Conservarão uma aparência de piedade, mas negarão a sua essência.Procura evitar essa gente. 6São desses, alguns que se introduzem nas casas e cativam mulheres mundanas, carregadas de pecados e subjugadas por toda a espécie de paixões, 7que estão sempre a aprender, mas são incapazes de chegar algum dia à verdade. 8Do mesmo modo que Janes e Jambres se opuseram a Moisés, assim estes se opõem à verdade. É gente de mente corrupta e inapta para a fé. 9Mas não irão longe, pois a sua insensatez tornar-se-á patente a todos, como aconteceu com os primeiros. 10Tu, porém, seguiste de perto o meu ensinamento, o meu modo de vida e os meus planos, a minha fé e a minha paciência, o meu amor fraterno e a minha firmeza, 11as perseguições e sofrimentos que tive de suportar em Antioquia, Icónio e Listra. Que perseguições tive de suportar! Mas de todas elas me livrou o Senhor. 12E assim também todos os que quiserem viver a fé em Cristo Jesus serão perseguidos. 13Quanto a esses perversos e impostores, irão de mal a pior, extraviando outros e extraviando-se a si próprios. 14Tu, porém, permanece firme naquilo que aprendeste e de que adquiriste a certeza, bem ciente de quem o aprendeste. 15Desde a infância conheces a Sagrada Escritura, que te pode instruir, em ordem à salvação pela fé em Cristo Jesus. 16De facto, toda a Escritura é inspirada por Deus e adequada para ensinar, refutar, corrigir e educar na justiça, 17a fim de que o homem de Deus seja perfeito e esteja preparado para toda a obra boa.

4 Exortação solene - 1Diante de Deus e de Cristo Jesus, que há-de julgar os vivos e os mortos, peço-te encarecidamente, pela sua vinda e pelo seu Reino: 2proclama a palavra, insiste em tempo propício e fora dele, convence, repreende, exorta com toda a compreensão e competência. 3Virão tempos em que o ensinamento salutar não será aceite, mas as pessoas acumularão mestres que lhes encham os ouvidos, de acordo com os próprios desejos. 4Desviarão os ouvidos da verdade e divagarão ao sabor de fábulas. 5Tu, porém, controla-te em tudo, suporta as adversidades, dedica-te ao trabalho do Evangelho e desempenha com esmero o teu ministério.
Paulo no crepúsculo da vida - 6Quanto a mim, já estou pronto para oferecer-me como sacrifício; avizinha-se o tempo da minha libertação. 7Combati o bom combate, terminei a corrida, permaneci fiel. 8A partir de agora, já me aguarda a merecida coroa, que me entregará, naquele dia, o Senhor, justo juiz, e não somente a mim, mas a todos os que anseiam pela sua vinda.
Últimas recomendações - 9Vem ter comigo quanto antes, 10pois Demas abandonou-me. Preferiu o mundo presente e foi para Tessalónica. Crescente foi para a Galácia, e Tito para a Dalmácia. 11Apenas Lucas está comigo.Traz contigo Marcos, pois me será de grande ajuda no ministério. 12Quanto a Tíquico, enviei-o a Éfeso. 13Quando vieres, traz o manto que deixei em Tróade, em casa de Carpo, bem como os livros, especialmente os pergaminhos. 14Alexandre, o fundidor de cobre, causou-me muitos danos. O Senhor lhe retribuirá segundo as suas obras. 15Toma tu também cuidado com ele, pois muito se tem oposto ao nosso ensinamento. 16Na minha primeira defesa, ninguém esteve ao meu lado. Todos me abandonaram. Que não lhes seja levado em conta. 17O Senhor, porém, esteve comigo e deu-me forças, a fim de que, por meu intermédio, o anúncio fosse plenamente proclamado e todos os gentios o escutassem. Assim fui arrebatado da boca do leão. 18O Senhor me livrará de todo o mal e me levará a salvo para o seu Reino celeste. A Ele, a glória, pelos séculos dos séculos. Ámen!

Saudação final - 19Saúda Priscila e Áquila, bem como a família de Onesíforo. 20Erasto ficou em Corinto. Deixei Trófimo doente em Mileto. 21Faz o possível por vir antes do Inverno.Cumprimentos de Êubulo, Pudente, Lino, Claúdia , e todos os irmãos . 22O Senhor esteja contigo e a graça vos acompanhe.

Sem comentários:

Enviar um comentário